menu
São Paulo - SP | Whatsapp: 11966761536
administrador
São Paulo - SP
LIBERAÇÃO DA MACONHA
SAÚDE
SAÚDE
LIBERAÇÃO DA MACONHA
Postada em 08/02/2018 ás 11h53 - atualizada em 08/02/2018 ás 11h53
Frente alerta: duas ações pedindo a liberação do uso e do porte de drogas no Brasil aguardam julgamento no Supremo Tribunal Federal
Situação pode gerar muita discussão, principalmente entre os conservadores
Frente alerta: duas ações pedindo a liberação do uso e do porte de drogas no Brasil  aguardam julgamento no Supremo Tribunal Federal

Foto: reprodução

A Frente Nacional Contra a Liberação da Maconha e da Cocaína completa sete meses e já é o maior movimento contra o uso e o porte de drogas no Brasil. “Essa luta já se transformou para mim em bandeira de vida”, declara o criador da Frente, Deputado Campos Machado, Presidente do PTB/SP e Secretário Nacional do partido. Continuando a argumentação, Campos Machado, diz que “ a Frente Nacional Contra a Liberação da Maconha e da Cocaína hoje é uma grande realidade. Não esperava tanto. A repercussão é tão grande que eu me sinto recompensado e até orgulhoso do alcance na Sociedade da nossa Frente. A verdade é que essa luta já se transformou para mim em bandeira de vida, mas, no momento, a vitória que mais me interessa é o resultado no Supremo Tribunal Federal, que NÃO pode liberar,  de maneira alguma, esta arma mortal contra as famílias: a liberação da maconha e da cocaína.”



A Frente Nacional Contra a Liberação da Maconha e da Cocaína é a resposta da Sociedade a duas ações que, se aprovadas pelo Supremo Tribunal Federal, irão liberar o uso, o porte e o cultivo da maconha no Brasil. As duas ações estão para serem julgadas. Reivindicam  tirar da Lei 11.343/2006 o artigo 28, que especifica punições para quem “adquirir, guardar, ter em depósito, transportar ou trouxer consigo drogas para consumo pessoal”. Como defende na imprensa o ministro Luís Roberto Barroso, “depois da maconha poderíamos legalizar a cocaína.” Traduzindo: tirar o artigo 28 da Lei 11.343 significa autorizar uso e venda de TODAS AS DROGAS no Brasil.



MACONHA É RISCO PARA ESQUIZOFRENIA E COCAÍNA PODE CAUSAR INFARTO 

Maconha é proibida porque causa dependência, reduz memória, aprendizado, inteligência e pode também provocar surtos e esquizofrenia, isso provado por  pesquisas brasileiras e internacionais. O uso para fins medicinais do Canabidiol (que vem de SUBSTÂNCIA DA MACONHA)  já foi autorizado pelo Conselho Federal de Medicina, por meio da resolução 2.113, que aprova “o uso compassivo do medicamento—uma das 400 substâncias da maconha - para tratamento de epilepsias da criança e do adolescente, refratárias aos tratamentos convencionais.” Convém salientar que o uso medicinal da substância corresponde a menos de 1% do uso da droga.



Cocaína é  proibida no Brasil por conta da dependência, do risco de overdose, mesmo em baixas quantidades e ainda pode causar: Infarto, Derrame, Asma, Bronquite, Pneumonia, Convulsões, Insuficiência Renal, Hepatite B e C, além de potencializar a infecção pelo HIV, vírus da Aids.



A FRENTE PROVA: A MAIORIA DOS BRASILEIROS NÃO QUER A LIBERAÇÃO DE DROGAS NO PAÍS 



Um milhão e 200 mil famílias da Federação do Amor-Exigente, 500 dependentes em recuperação da ONG Faces E Vozes do Brasil , empresários da FIESP, Instituto Jovem Pan, bispos, pastores, 150 prefeitos e câmaras municipais de São Paulo , Minas Gerais, Piauí e Rio Grande do Sul participam da Frente Nacional contra a Liberação da Maconha e da Cocaína.



ESPECIALISTAS APOIAM A FRENTE



A Frente tem também o apoio do psiquiatra-referência em pesquisas sobre drogas no Brasil, doutor Ronaldo Laranjeira, professor titular do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP; do psiquiatra Pablo Roig, diretor da Clínica Greenwood, referência no Brasil , nos Estados Unidos e na Europa; do Vice-Presidente da Federação do Amor  Exigente, Miguel Tortorelli; do advogado Cid Vieira de Souza Filho , da OAB/SP;da cirurgiã-dentista Sandra Crivello, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas;, do psicoterapeuta Alexandre Araujo, Presidente da Associação Intervir e da Ecovillas; do pediatra João Paulo Lotufo, Coordenador dos programas antidrogas da Sociedade  de Pediatria de  São Paulo e da  Sociedade Brasileira de Pediatria; e do advogado criminalista Mário de Oliveira Filho, presidente da Abracrim/SP, Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas



Na Frente, contamos com os cidadãos de bem para enviar e-mails e cartas a cada um dos 11 ministros do STF, alertando-os de que votar a favor dessas ações só beneficiará o tráfico, como advertem o Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira, a Associação Brasileira de Psiquiatria e a Federação Nacional dos Médicos. “A eliminação do artigo 28 irá aumentar o consumo de drogas, elevar o número de homicídios, suicídios e acidentes de trânsito, além de ampliar o poder do tráfico”.



Proteja sua família! Participe desta luta contra as drogas no Brasil.



 


FONTE: Izilda Alves - jornalista, Conselheira da Federação do Amor-Exigente, Porta-Voz da Frente Nacional Contra a Liberação da Maconha e da Cocaína e autora do livro “Guerra pela Vida- A campanha da Jovem Pan contra as drogas”, do Instituto Jovem Pan.
leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Para você, quem ganha o carnaval de São Paulo ?

Acadêmicos do Tatuapé
nenhum voto - 0%

Império de Casa Verde
nenhum voto - 0%

Vai - Vai
nenhum voto - 0%

Mocidade Alegre
nenhum voto - 0%

facebook
twitter
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados