menu
São Paulo - SP | Whatsapp: 11966761536
administrador
São Paulo - SP
SUPREMO
EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO
SUPREMO
Postada em 28/09/2017 ás 07h41 - atualizada em 28/09/2017 ás 07h44
Supremo mantém aula de religião em escola pública
Seis ministros votaram para educador ter liberdade de pregar a fé e cinco votaram para impedir professor de promover crenças. Com decisão, todos os modelos de ensino continuam permitidos.
Supremo mantém aula de religião em escola pública

Folha de S.Paulo



Brasília - Por seis votos a cinco, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu ontem que os professores de escolas públicas podem pregar suas crenças na sala de aula.



Os ministros analisaram um pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República).



Para a Procuradoria, o ensino religioso em escolas públicas só pode ser de "natureza não confessional", ou seja, sem vinculação a uma religião específica, com proibição de admissão de professores na qualidade de representantes das confissões religiosas.



A ação foi impetrada pela Procuradoria para discutir dispositivos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação sobre ensino religioso nas escolas públicas.



O objetivo era mudar a legislação atual.



O artigo 210 da Constituição diz que "o ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental


leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Para você, quem ganha o carnaval de São Paulo ?

Acadêmicos do Tatuapé
nenhum voto - 0%

Império de Casa Verde
nenhum voto - 0%

Vai - Vai
nenhum voto - 0%

Mocidade Alegre
nenhum voto - 0%

facebook
twitter
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados